Atitude de Aprendiz
Ao tornar-se um adepto da Sublime Instituição, o Aprendiz Maçom se tornará um obreiro do Grande Arquiteto do universo, e assim, deve sempre dedicar-se às múltiplas tarefas da sua competência.
Desta maneira, agora como neófito terá que aprender a cumprir seus encargos, isto é, a se dedicar a trabalhar para isso.
Esse aprendizado, ao qual é usado o eufemismo de se estar desbastando a Pedra Bruta, vai ser ministrado vagarosamente e por etapas, aos poucos e de diferentes formas.
Dentre esses diversos modos de aprendizado, o início do mesmo quase sempre acontece através do conhecimento repassado pelas Instruções e Trabalhos, que são entregues e lidos em Loja, cuja elaboração estará, principalmente, sob a responsabilidade dos integrantes do Corpo Administrativo da Oficina.
Assim, o Aprendiz deverá firma-se no conceito básico de que:
"Uma das finalidades primordiais da Maçonaria, é a de promover a evolução da capacidade de se ilustrar, proporcionada a todos os seus integrantes".
Quando o aprendiz Maçom vê a verdadeira luz ainda não sabe nada, pois o método de trabalho maçônico é bem diferente daquele que conheceu no Mundo Profano.
Na condição de Não Iniciado, procura apenas adquirir o máximo de conhecimentos dos mais variados, enquanto que pertencendo à Maçonaria, possivelmente vislumbrará que o objetivo maior das Instruções que são oferecidas, seria do aperfeiçoamento moral e intelectual ininterrupto do homem.
Desta forma, passa a enriquecer ainda mais suas faculdades, pelo acréscimo da maior cultura possível, para que como um verdadeiro Maçom melhor possa agir, tanto no seu dia-a-dia, quanto nas várias situações de sua vida.
Há quem pense, enganosamente, que as ideias são resultado de sua própria inteligência, porém, isso vem demonstrado que nunca foi uma verdade absoluta!
Certamente, a grande maioria das boas ideias provêm principalmente:
* Da experiência do mundo exterior;
* Do relacionamento com a sociedade;
* Da observação e convivência com os animais e a natureza como um todo.
No Mundo Profano, todo homem desprovido de maior cultura, isto é, que tenha decidido nunca aceitar os ensinamentos transmitidos por outras pessoas, é muito mais provável que não possa formar qualquer ideia magnífica, colaborativa, que auxilie ou impressione os demais.
Contrariamente, todos aqueles dotados de pré-disposição e vontade de aprender, sempre terão a oportunidade de aprenderem com seus pares - seus iguais, até porque os filhos aprendem com seus pais, os alunos com seus professores, os jovens com os mais velhos, e assim maçonicamente os Aprendizes, como não poderia deixar de ser, devem aprender com seus Mestres, e de maneira natural vendo, ouvindo e estudando, porque são faculdades de que os ser humano é absolutamente muito bem provido.
Do Livro 100 Instruções de Aprendiz, escrito pelo Ir Raymundo D´elia Filho